terça-feira, 27 de agosto de 2013

O desabafo da magrela: traumas, rótulos e decisões


Todo mundo acha que ser magro é não ter problemas, quando se trata de corpo. Já ouvi muita coisa, principalmente do tipo: "você ainda reclama do seu corpo???????", "Você é magra, minha filha, que problemas você tem???", "Meu amor, você não sabe o que é ser escolhido pela roupa e não escolher ela!!"
Maaaaaas, não é bem assim, eu também sou escolhida pelas roupas, eu reclamo sim, porque não é legal quando todo mundo te manda comer,enquanto você come pra caramba, entre outras coisas.

Eu sempre gostei de ser magra, até porque quando eu era pequena tinha uma história de ser modelo (mas isso é assunto pra outro post KKKKK)- ABAFA!- só que, quando eu fui crescendo e o corpo desenvolvendo eu emagreci mais, enquanto as minha amigas começavam a ficar com pernas grossas e bundas avantajadas ( gostosas mesmo!). Não me incomodava tanto porque eu sempre fui muito bem resolvida, sempre me assumi e, JAMAIS, deixava de fazer ou usar alguma coisa por isso.
    
Porém a gente sabe que a adolescência é uma coisa complicada na vida, (como eu queria pular a fase dos 15 aos 17!!), não que eu já não sou mais adolescente, mas agora a coisa tá beeem mais fácil de lidar. Com a saída da infância vem um turbilhão de coisas: vida social, amigas, periguetes, lances, grupos, e com eles os rótulos. É  nessa hora, em que a gente começa a se afirmar, é quando a gente vai fazendo as nossas escolhas e, a partir delas, ganhamos "títulos". Pois é, foi aí que o bixo pegou! Eu passei por muitos rótulos, exatamente nessa ordem: popular, gente boa, patricinha, magrela, a novata, a calada, a metida, entre outros. Ah, por que novata???? Simplesmente porque eu mudei mais de escola e de bairro do que de roupa!
  
Eu passei a ser "a amiga de fulana", "a irmã de sicrana" e isso me comodava muuuito, porque, como eu já falei, sempre fui muito bem resolvida comigo mesma e não achava que os outros tinham o direito de me substimar, comparar ou rotular com qualquer coisa que não fosse "Isabella".
Eram amigas, inimigos e até paqueras falando que eu era muito magra e que minha irmã era muito melhor e blá blá blá... Isso causa um transtorno horrível, principalmente quando era comparada a minha irmã, a gente se parece bastante e passamos quase a vida toda estudando juntas, saindo juntas, aí eu não quis mais saber de estudar, nem de mais nada, eu comecei a fazer tudo pra chamar atenção, só queria saber de me arrumar e foi aí que aprendi a me maquiar, a escolher roupas, etc.
  
Graças à Deus o tempo passa, as coisas passam, a gente cresce e também aprende a ignorar tudo o que não nos acrescenta nada. Eu aprendi muito a me valorizar, a me amar, a apenas me melhorar- JAMAIS me diminuir!-, aprendi a lidar com críticas e, principalmente que NADA TRÁS TANTAS COISAS BOAS, COMO FAZER ALGO POR SI MESMA!! Onde eu aplico isso?? Simples; estudo, malhação, compras de roupas, peço a Deus para que eu me torne uma pessoa melhor a cada dia, que eu seja uma pessoa simples, amável e bem quista. Quando eu tô sem nenhuma vontade de estudar, cansada, com preguiça, sono, fome, ou qualquer coisa, eu penso que eu estudar só vai me trazer coisas boas, só vai me acrescentar, no mínimo eu vou ter uma mente mais rica e, isso, me dá tanta força, tanta força que só eu sei. Me levanto na hora e chega estudo com gosto, com vontade meeeesmo!!

A academia veio a pouco tempo. Um mês, mais ou menos, é o tempo que eu tô lá ralando. Mas, pra mim, já fez uma diferença gigantesca!! O meu corpo já mudou, eu ganhei 2 quilos (que pra mim é uma vitória), só falto um quilinho pra os 50Kg e, esse peso, tem um significado muito grande pra mim. Não é apenas superação, um corpinho mais legal, as roupas vestirem melhor, ou banir os traumas. Tem algo a mais: o meu sonho, desde criança, é doar sangue e, pra quem não sabe, o peso mínimo para um doador é 50Kg e eu tinha estacionado nos 48Kg.  Sobre a academia eu quero falar no próximo post, depois de vocês já saberem as minhas motivações. Tô amando treinar, de verdade. É uma coisa que eu super indico: façam exercícios físicos!! Eu só não vou prolongar muito esse assunto, porque é muita coisa pra falar sobre e tudo será dito no próximo post, certo??!

 Quanto aos rótulos que me davam?? Ainda dão. Mas eu não tô nem aí. Aprendi (até com uma pessoa que nem gostava muito, mas que me ensinou algumas coisas que eu levo pra vida toda) que as pessoas que escolhemos para estar no nosso lado, devem ser pessoas que nos cresça, nos edifique, nos faça sentir-se bem. E as pessoas que estão ao redor, que fazem mal, excluir e não levar em consideração é o melhor a ser feito. Você não tem que ser igual a alguém, não tem que aceitar o que não concorda, ir de encontro com os seus princípios e valores, só, pra agradar alguma criatura que VOCÊ acha que é insubstituível, que é o melhor, "o cara". Seja você, as pessoas boas de verdade, que merecem estar ao seu lado vão chegar, sem que você force nada. De verdade. Acredite no que eu tô falando, viiiiiiiu?!!

Bom, minha gentxe, eu não tava pensando em escrever nada disso quando eu comecei a fazer esse post, mas foi, né?! Então, só espero que sirva de apoio pra quem passa/passou por algo parecido. Traumas, todo mundo tem, acredite. Só que deixar isso virar algo maior do que você é o grande problema. Nós somos os nossos maiores obstáculos, então, pra vencer só depende de cada um. O "conselho" que eu posso dar é: Se aceite como você é! Gorda, magra, loira, morena, alta, baixa. Até porque, se aceitar não significa gostar de tudo em você, mas sim procurar melhorar sempre e adaptar o mundo à você e não o inverso. Eu tô longe de ser sábia o suficiente pra sair dando conselhos por aí, mas eu me sinto na obrigação de falar tudo isso pra quem ta passando por isso, porque se eu tivesse alguém pra me falar tudo isso, eu não teria sofrido tanto, gente. Sério.  Um beijão e fiquem com Deus!!

2 comentários:

Juliana Cordeiro disse...

Linda, amei suas doces e sábias palavras. Você realmente se superou, já passei por coisas bem parecidas e ser eu mesma me ajudou muito. Escreve sobre a academia, estou ansiosa para ler.

Isabella Santiago disse...

Pois é Jú e, sem dúvidas, esse apoio e carinho que eu sempre recebi são os meus principais motivadores pra tudo. Vou escrever siiim!! Tô super ansiosa pra escrever, pq eu tô muito feliz com os resultados. Beijão e obrigada, por tudo!!